FINALIDADE DO BLOG

Humanistas é um espaço para os professores de Humanas e educandos, foi idealizado pela da Escola Raimundo Honório-PE, com o objetivo de interagir, compartilhar leituras, ideias e insights, promovendo a educação para além das paredes escolares.

sexta-feira, 25 de julho de 2014

ASPECTOS MATERIAL E NÃO MATERIAL DA CULTURA







 A cultura possui  dois aspectos, o material e o não material. Ainda que se trate de algo pelo valor agregado e não a materialidade é assim que ela se manifesta.
A religião é um exemplo de imaterialidade que se manifesta concretamente através de símbolos  materiais.
O imaterial possui um valor abstrato, que é concretizado por materialmente. Ainda não foi possível dissociar um do outro.  


A cultura material consiste em todo tipo de utensílios, ferramentas, instrumentos, máquinas, hábitos alimentares, tipos de habitação, etc. A cultura material pode influir no estilo de vida de um grupo. Por exemplo: no interior do Nordeste a farinha de mandioca é alimento básico; as rede são usadas por grande parte das pessoas para dormir; as casas pobres são construídas com barro e folhas de palmeira. Forma-se, assim, um modo ou estilo de vida fundamentado na cultura material da região.

A cultura não-material abrange todos os aspectos não materiais da sociedade, tais como: normas sociais, religião, costumes, ideologia, ciências, artes, folclore, etc. Por exemplo, a maioria da população segue a religião católica, não há pena de morte na legislação do Brasil e, embora proibido por lei, o preconceito racial é bastante difundido no país.

Interdependência entre o material e o não material da cultura

Existe uma interdependência constante entre cultura material e cultura não material. Quando assistimos à apresentação de uma orquestra, sabemos que as músicas apresentadas são produtos da criatividade de um ou mais músicos. Entretanto, para comunicar sua criação aos outros, os artistas valem-se de instrumentos musicais. Da mesma forma que uma música requer instrumentos musicais para sua exteriorização, também as religiões, de modo geral, necessitam de templos, altares e outros materiais para que possam ser praticadas.

Na verdade, a interdependência entre esses dois aspectos é intrínseca a qualquer cultura, pois um grupo realiza sua cultura não material apoiado ou justaposto em sua cultura material, que são os meios de execução da cultura. 


Os Elementos da Cultura 


A cultura é um todo, um sistema, um conjunto de elementos ligados estreitamente uns aos outros. Para efeito de estudo, vamos desmembrá-las em suas partes, seus elementos.

Os principais elementos de uma cultura são: os traços culturais; o complexo cultural; a área cultural; o padrão cultural; a subcultura. 


Traços culturais 


Uma ideia, uma crença representam traços culturais. Um carro, um lápis, uma capa, uma pulseira, um computador também são exemplos de traços culturais.

Os traços culturais são os elementos mais simples da cultura. Eles são as unidades de uma cultura.

É necessário ressaltar que os traços culturais só têm significado quando considerados dentro de uma cultura específica. Um colar pode ser um simples adorno para determinado grupo e para outro ter um significado mágico ou religioso. Para os fiéis das religiões afro-brasileiras, por exemplos, os colares usados têm cores especiais, dependendo da divindade cultuada pela pessoa e, de acordo com a crença, dão proteção a quem os usa. Portanto, só no conjunto da cultura é que se pode entender um determinado traço. 


Complexo Cultural 


A combinação dos traços culturais em torno de uma atividade básica forma um complexo cultural. Por exemplo, o carnaval no Brasil é um complexo cultural que reúne um grupo com traços culturais relacionados uns com os outros: carro alegórico, música, dança, instrumentos musicais, desfiles, etc. Da mesma forma, o futebol é um complexo cultural que pode ser desmembrado em vários traços culturais: o campo, a bola, o juiz, os jogadores, a torcida, a torcida, as regras do jogo, etc.


Área Cultural 


A região em que predominam determinados complexos culturais forma uma área cultural. Esta é, portanto, a área geográfica por onde se distribui uma certa cultura. Assim, os grupos humanos localizados em determinada área cultural apresentam grandes semelhanças quanto aos traços e complexos culturais. 


Padrão cultural


Padrão cultural é uma norma de comportamento estabelecida pela sociedade. Os indivíduos normalmente agem de acordo com os padrões estabelecidos pela sociedade em que vivem. Quando os membros de uma sociedade agem de uma mesma forma estão expressando os padrões culturais do grupo. No Brasil, por exemplo, o casamento monogâmico é um padrão de nossa cultura.


Subcultura 


No interior de uma cultura podem aparecer diferentes significativas, caracterizando a existência de uma subcultura. Há regiões do Rio Grande do Sul onde, além dos costumes e valores serem muitas vezes diferentes dos praticados no restante do país, até a língua é o italiano ou o alemão.

Também os jovens apresentam costumes às vezes muito diferentes dos da população adulta; por isso, alguns autores falam de uma subcultura juvenil.

Numa subcultura geralmente encontramos os mesmos elementos da cultura, mas com sus símbolos, suas normas e seus valores sociais particulares. Veja o exemplo da subcultura juvenil representa pelas tribos urbanas. Cada membro da tribo se reconhece pelos símbolos comuns, como o vestuário e o linguajar característicos que permeiam o espírito de grupo. 



- O CRESCIMENTO DO PATRIMÔNIO CULTURAL 


Cada geração passa por um processo de aprendizagem, no qual assimila a cultura de seu tempo e se torna apta a enriquecer o patrimônio cultural das gerações futuras. É na capacidade que têm os grupos de perpetuar a cultura que reside a possibilidade de progresso. Todo progresso é resultante de uma síntese de elementos novos com elementos já adquiridos. Uma cultura não pode sofrer uma quebra de continuidade entre uma e outra geração. Por mais viva e inventiva que seja uma cultura, as gerações não rompem inteiramente com seu passado.

Em geral, o enriquecimento do patrimônio de uma cultura se faz por dois processos: a invenção e difusão. Depois de estuda-los, vamos ver como o desequilíbrio entre os diferentes aspectos da cultura gera o processo conhecido como retardamento cultural.

Invenção e Difusão Cultural

Em meados do século XIX, o uso do motor a vapor para mover um veículo correndo sobre os trilhos criou um equipamento que teria importância decisiva no mundo moderno: o trem. Impacto maior ainda foi provocado no fim daquele século pela invenção do automóvel, que era pouco mais que uma carruagem impulsionada por um motor a explosão.

Assim, invenção é a combinação de traços culturais já existentes, dando como resultado um traço cultural novo. Muitas vezes, como no caso do trem e do automóvel, as invenções acarretam mudanças amplas e profundas em toda a cultura.

Alguns traços culturais, como uma nova moda ou o uso de um equipamento recentemente inventado, difundem-se dentro da sociedade em que tiveram origem e também em culturas diferentes, geralmente pelos meios de comunicação (jornais, revistas, televisão, cinema, rádio, Internet, etc.) Quando isso ocorre, dizemos que está havendo um processo de difusão cultural. Pode-se afirmar que o enriquecimento cultural se verifica mais frequentemente por difusão do que por invenção.

Geralmente, o patrimônio de uma cultura cresce de geração em geração. As culturas se desenvolvem e o número de traços que são incorporados é muito maior do que aqueles que caem em desuso.

Assim, a cultura é o somatório de todas as realizações das gerações passadas que se sucedem no tempo, mais as realizações da geração presente. 


Retardamento cultural 


As mudanças dos diversos elementos da cultura não acontecem no mesmo ritmo: alguns se transformam mais rapidamente que outros. As invenções, por exemplo, acarretam mudanças mais aceleradas na cultura material que na cultura não material: os instrumentos, as máquinas e as técnicas mudam com mais rapidez do que a religião, os padrões familiares e a educação.

Esse descompasso provoca atraso de um elemento da cultura em relação a outro. O uso de pílulas anticoncepcionais, por exemplo, encontrou grande resistência por parte de setores religiosos e educacionais, enquanto milhares de mulheres em todo mundo já se beneficiavam da invenção.

Toda vez que há um desequilíbrio entre os diferentes aspectos da cultura, pode-se falar de retardamento ou demora cultural. 


Fonte: http://amigonerd.net/humanas/direito/aspectos-material-e-nao-material-da-cultura

Organização da postagem: Profª Lourdes Duarte

Nenhum comentário:

Postar um comentário

DEIXE COMENTÁRIO, É IMPORTANTE SUA PARTICIPAÇÃO.OBRIGADA, VOLTE SEMPRE.